Texto defende ditadura no Brasil

No UOL

Uma das raras pessoas que ficou mais rica com a crise econômica detonada em 2008, o economista Nouriel Roubini divulgou em seu renomado site um texto assinado por um economista brasileiro que defende o retorno do Regime Militar. Para o colunista, um governo nos moldes do exercido entre 1964 e 1985 é a fórmula para o sucesso do país.

Roubini, que visitou o Brasil no ano passado, ganhou renome por prever turbulências financeiras com origem no mercado imobiliário. Em 2008, nos Estados Unidos, o banco Lehman Brothers faliu, combalido principalmente por créditos imobiliários de baixa confiabilidade de retorno, os chamados “subprime”.

O texto, assinado por Ricardo Amaral, foi publicado na quarta-feira (14) e leva o título: “A fórmula brasileira para o sucesso – ditadura”. “A fórmula brasileira para o sucesso inclui períodos de ditadura e o Brasil teve três períodos em sua história quando o Brasil se beneficiou por estar sob certa forma de governo; um regime ditatorial benevolente”, escreveu.

“Sugiro que os militares tomem o poder novamente no Brasil por meio de um golpe de Estado, porque todos sabemos que esse grande problema de criminalidade que está devastando a população brasileira não pode ser resolvido sob um sistema democrático de governo e por causa das ações que têm de ser tomadas para levar para levar a paz a todos os bairros no Brasil”, continuou.

“Sob a ditadura de um político civil [em referência a Getúlio Vargas] e mais tarde sob a ditadura dos militares importantes mudanças econômicas foram adotadas e implementadas no Brasil, as quais plantaram as sementes para prosperidade econômica brasileira no longo prazo”, disse.

No final do texto, o site RGE EconMonitors diz que as opiniões e comentários ali escritos “não necessariamente refletem a visão da Roubini Global Economics, LLC, que estimula um debate livre entre seus próprios analistas e a comunidade do nosso EconoMonitor”. “A RGE não assume responsabilidade pela verificação da precisão de qualquer opinião expressa por colaboradores externos”, alerta.

No texto publicado no site de Roubini, Amaral especula sobre candidatos a ditador. O administrador é descendente direto do patriarca da independência José Bonifácio de Andrada e Silva (1763-1838).

Após a publicação do texto, comentários no Twitter criticaram Roubini por conceder espaço à defesa da ditadura. O mesmo fez um blog do jornal britânico “Financial Times”.

Visita em 2009

Em sua visita ao país no ano passado, o economista criticou o excesso de otimismo no Brasil sobre a crise. “Notei que parte do otimismo no Brasil tem relação com a China, e isso parece ser injustificado, porque a China está exportando menos e tem excesso de investimento em produção, que já está saturada”, afirmou.

“As coisas melhoram para os que concentram dois terços do PIB global [os países ricos], mas onde alguns veem um sinal verde, eu vejo um sinal amarelo. Afinal esses dois terços estão em recessão, e os emergentes estão em pouso forçado.”

Há cerca de quatro anos, quando os mercados se empolgavam com negociações em cifras inimagináveis até então, Roubini afirmou que os preços das moradias nos Estados Unidos estavam em uma espiral especulativa que acabaria afundando a economia global.

Ridicularizado na época por suas opiniões sobre o setor imobiliário, também porque os críticos se lembravam de seus prognósticos errados, ele foi ainda mais veemente nos comentários, o que acabou fazendo desse professor de 50 anos uma espécie de dono do monopólio dos alertas pré-crise.

Professor da Universidade de Nova York e economista-chefe do RGE, Roubini declarou em meados do ano passado que o crescimento do PIB do Brasil em 2009 ficaria torno de zero. A respeito disso, acertou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo