Thiago mereceu a festa

Por Tácito Costa

Uma das coisas que gosto mais nos lançamentos e feiras de livros é rever velhos amigos e conhecer pessoas que conhecia apenas de nome ou por ter lido algum livro delas. O lançamento de “Impressões digitais – escritores potiguares contemporâneos”, de Thiago Gonzaga, ontem à noite na ANL, deu-me novamente esses prazeres.

Entre os amigos que não via há mais ou menos tempo, a poeta Jeanne Araújo, e o romancista Aldo Lopes, e entre os que conheci somente ontem a poeta Maria Maria Gomes, de Currais Novos, uma figura que me cativou logo de cara.

O lançamento juntou muita gente boa. Não vou citar porque posso esquecer alguém.

Acho que Thiago merecia a festa, não é fácil editar um livro, seja em que circunstância for. Folheei o livro na fila, que quase não acaba, e gostei, está bem editado, uma obra digna e representativa das nossas letras.

Obviamente, se fosse eu ou outro pluralista, Damata, Marcos, Jarbas…, por exemplo, a seleção dos entrevistados seria diferente. Mesmo em se tratando de um primeiro volume eu faria outras escolhas. Mas, penso que manteria mais da metade dos entrevistados.

Na apresentação Thiago explica seus critérios de seleção e seu objetivo com a obra. Podemos debater a presença ou ausência de alguns nomes, mas não há como não reconhecer que ele tem a liberdade de fazer suas próprias escolhas e, sobretudo, sempre esteve imbuído das melhores intenções.

Que venham os próximos volumes.

Poetas Cefas Carvalho, Jeanne Araújo e Maria Maria

Comentários

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 16 =

ao topo