“Transa”, de Jefferson Turibio

fiz o exercício de trocar

as coisas de lugar

comecei pelas palavras

               que costumam compor

minhas falas

 

troquei os livros de lugar

               pus em cima da pia

as roupas na cadeira

               sentei-me ao chão

escrevi com as unhas na parede

               comi a janta no café

                                               e mesmo assim bebi café

               lanchei na hora do almoço

                                   mas não almocei e não tomei café

               não senti fome com o inverso

tomei banho num copo d’água

               banhei-me com gozo

escovei os dentes nas unhas dos gatos

               penteei os cabelos nas telhas

vesti o corpo de cerâmica

 

               fiz o exercício de trocar

a linguagem tradicional

               para falar em poesia

e não consigo mais parar

corpo
        segue
                sendo
                        poema.

              

            

 

Imagem: quadro da coleção “The last living surrealist”, de Desmond Morris

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo