Tucanos, cheiros e preconceitos

Amigos e amigas:

A FSP, noticiando o lançamento da candidatura Serra, registrou o caráter de massa a que essa campanha parece almejar, com uma ressalva atribuída a voz tucana: massas cheirosas.

O preconceito emburrece! Quem está vivo tem cheiro de algo, quem morre tem cheiro de algo. Só faltou especificar: massas Chanel nº 5…
Melhor reler a bonita letra de “Aroma”, Gilberto Gil nos anos 70:

xxxxx

Aroma
Gilberto Gil.

A-a-a-a-aroma
A-a-a-a-aroma

Vem pelo vento
Aroma
Fragrância, odor
Vem da pitanga
Da manga
Perfume da flor

Vem do estrume
Cheiro do gado
Vem do pecado (aroma-amor)
Do corpo dela (aroma-amor)
Todo molhado
Aroma
Um cheiro de suor

Ah, ah, ah, ah, aroma
Ah, ah, ah, ah, aroma

Vem pelas ventas
Aroma
Do pobre ou rico
Embriagado
Tu ficas
Eu também fico

Vem da macela
Da graviola
Vem do pé de manjericão
Todo o planeta
Aroma
De planta do sertão

Todo o planeta (que cheirinho gostoso)
Aroma (de capim cheiroso)
De planta do sertão

xxxxx

“Do pobre ou do rico”, a rima interna perfume/estrume: arte vê longe!
Abraços a todos e todas:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo