Tudo o que você precisa saber sobre o 6º Festival Literário da Pipa, agora em novo local!

A literatura está de volta à praia, com seus debates instigantes e grandes escritores. A 6ª edição do Festival Literário da Pipa (Flipipa) acontecerá de 6 a 8 de agosto em novo endereço, no espaço de eventos Pipa Open Air, na rua Baía dos Golfinhos. No caldo fervilhante de assuntos levantados este ano, vão estar em alta o representante maior do modernismo Mário de Andrade, o ex-prefeito Djalma Maranhão, o poeta Wally Salomão, e mais música, contracultura, antropologia, contos, crônicas, literatura e sertão, memórias e poesia, cultura popular, literatura e dramaturgia e as lendas e cantares de Tibau do Sul.

O Flipipa 2015 contará com a tradicional Tenda dos Autores, mais espaços educativos e lúdicos com atividades a partir das 8h da manhã até 23h, oferecendo biblioteca móvel do Sesc, estande de editoras e sebos locais, livraria da Cooperativa da UFRN, espaço de contação de histórias, apresentações musicais, dança e teatro, e restaurante. A realização do Projeto Nação Potiguar e Fundação Hélio Galvão e conta com os parceiros/patrocinadores Ecocil, Sistema Fecomércio/Sesc, Fiern/Sesi, Prefeitura de Tibau do Sul, Grupo Gentil, Rede Intertv Cabugi, Sebrae RN, Hotel Ponta do Madeiro, Pipa Open Air, Assembleia Legislativa do RN, Associação de hotéis e pousadas da Pipa e Ateliê Flávio Freitas, Tribuna do Norte. A curadoria é Dácio Galvão e a produção executiva é de Candinha Bezerra.

O primeiro debate na Tenda dos Autores será “Das Falanges de Máscaras a Real Grandeza”, que vai relembrar algumas das mais profícuas parcerias da literatura brasileira. O compositor, violonista, cantor e poeta Jards Macalé e o poeta, compositor e ensaísta Antônio Cícero falarão sobre suas relações com o poeta Wally Salomão.

Mário de Andrade e sua relação com o Rio Grande do Norte, a partir do icônico personagem Macunaíma e o cantador potiguar Chico Antônio, serão abordados na mesa que contará com a participação do escritor e filósofo Eduardo Jardim, autor da primeira biografia do intelectual paulistano, “Eu Sou Trezentos – Vida e obra de Mário de Andrade”, ao lado do jornalista Vicente Serejo, A palestra “Macunaíma encontra Chico Antônio na Biografia de Mário de Andrade” encerra a primeira noite do Flipipa, dia 6 de agosto.

No ano em que se celebra o centenário do político, jornalista, educador e ex-prefeito de Natal Djalma Maranhão, novas nuances de sua trajetória serão revelados pelo olhar de Ticiano Duarte, Woden Madruga e Willignton Germano, na primeira mesa da sexta-feira 7. “Campos e espaços do conto e da crônica” será o tema abordado pela escritora mineira Marina Colasanti. Encerrando a segunda noite estarão o antropólogo, poeta e historiador Antônio Risério (BA) e a antropóloga Wani Pereira (RN), debatendo o tema “Cidade, Antropologia & poesia”.

No sábado, a literatura com raízes no sertão segue viagem com dois grandes ficcionistas do RN, Aldo Lopes e Demétrio Vieira Diniz, ambos entrevistados pelo jornalista e editor deste Substantivo, Tácito Costa. A segunda mesa da noite de sábado vai unir dois mundos: “O filho do Holocausto e o filho de Sertânia” Marcelino Freire e Jorger Mautner se encontram novamente após a marcante passagem pela Flip, este mês. Autor de “Contos negreiros”, vencedor do Jabuti que está completando dez anos de publicação, e “Nossos ossos”, que ganhou em 2014 o Prêmio Machado de Assis de melhor romance, Marcelino é um dos maiores autores da literatura contemporânea. Após o debate, seu novo livro “Amar é crime”, coletânea de “contos de amor e morte”, em edição ampliada, pela Editora Record. Jorge Mautner, nome que dispensa apresentações, foi um dos atores na criação do movimento tropicalista na década de 60. Publicou em 2002 a Mitologia do Kaos, antologia em três volumes de sua obra literária – o primeiro compreende a Trilogia do Kaos, composta pelos livros Deus da chuva e da morte (vencedor do prêmio Jabuti de 1963), Kaos (1964) e Narciso em tarde cinza (1966.

O Flipipa continua o acesso livre a toda a programação, pois não há cobrança de ingresso nem credenciamento para participar. Aliado a isso o Flipipa se fortalece como projeto voltado para melhoria da qualidade de vida da comunidade em que atua, através de seu braço educativo a partir das ações pensadas e desenvolvidas pela sua curadoria e pelos parceiros como Sesc/Fecomércio, Sebrae e Sesi/Fiern.

PROGRAMAÇÃO

DIA 05/08 – QUARTA-FEIRA (pré-abertura FLIPIPA 2015)
Espaço de eventos Pipa Open Air
Assembleia Cultural Itinerante: Especial Flipipa
A programação é uma versão itinerante da Assembleia Cultural em parceria com o Flipipa.
18h – Apresentação da Orquestra Flauta Doce de Tibau do Sul
18h30 – Mestre Cobrinha: Sapateado de baiano
O brincante é considerado o maior galante sapateador de baiano, que são as jornadas do Boi de Reis. Em 2004, Mestre Cobrinha participou do Cd Toques & Cantares (Nação Potiguar), na faixa Toada de Boi de Reis (Domínio Público) com participação de Walter Franco. O CD faz um mapeamento sonoro da praia de Tibau do Sul-RN, com os seus cocos-de-roda, cantares de farinhada, jornada da lapinha, jornadas de pastoril.
19h – Show “Do Mar ao Sertão”, de Carlos Zens
Espetáculo poético-sonoro, onde o artista insere citações poéticas de Câmara Cascudo, Mário de Andrade, Osvaldo Lamartine, Raquel de Queiroz, Patativa do Assaré, Guimarães Rosa, Graciliano Ramos, Renato Caldas, Euclides da Cunha e músicas de própria autoria e de outros compositores como Lenine, Jorge Mautner, Chico Antônio, Carlos Zens e Dácio Galvão.
E mais: Espaço Gastronômico Pipa Open Air, BiblioSesc – Biblioteca itinerante; espaço literário e estandes de livrarias e sebos.

DIA 06/08 – QUINTA-FEIRA
Tema do dia: “Poemas da Tarde” – Hélio Galvão
08h – Recital com Maria Flor;
8h30 – Sessão de Contos com Nara Kelly;
9h30 – Contação de Histórias com Camille Carvalho, Paula Queiroz e Rafael Telles;
10h30 – Ação Sesc de Incentivo à Leitura com os autores: César Ferrario (RN) e Patrícia Barbosa (RJ)
11h30 intervalo
13h30 – Contação de Histórias com Camille Carvalho, Paula Queiroz e Rafael Telles;
14h30 – Ação Sesc de Incentivo à Leitura com: César Ferrario (RN) e Patrícia Barbosa (RJ)
15h30 – Dona Lídia e o Pastoril de Cabeceiras

18h – Intervenção teatral grupo Alegria, Alegria
TENDA DOS AUTORES
19h30 – Mesa literária 1: “Das Falanges de Máscaras a Real Grandeza”
Com o compositor, violonista, cantor e poeta Jards Macalé e o poeta, compositor e ensaísta Antônio Cícero
20h30 – Mesa literária 2: “Macunaíma e Chico Antônio na biografia de Mário de Andrade”
Com o escritor e filósofo Eduardo Jardim, biógrafo de Mário de Andrade; e o jornalista e cronista Vicente Serejo
22h – Banda Choro do Elefante

07/08- SEXTA-FEIRA
Tema do dia: Derradeiras “Cartas da Praia”
8h – Contação de Histórias com Paula Medeiros
9h – Cia Cênica Ventura: “As Histórias de Dona Chica”
10h Ação Sesc de Incentivo à Leitura: Marcel Matias (RN): “Um estudo sobre Mário de Andrade”
Gelson Bini (SC)- Guia de leitura para mediadores
11h30 Intervalo
13h30 – Cia Ventura: “As Histórias de Dona Chica”
14h30 Ação Sesc de Incentivo à Leitura: Marcel Matias (RN)– Um estudo sobre Mário de Andrade
e Gelson Bini (SC)- Guia de leitura para mediadores

TENDA DOS AUTORES
19h – Mesa literária 3: “Cem anos de Djalma Maranhão”
Com Woden Madruga, Ticiano Duarte e Willigton Germano
O encontro costura a linha do tempo do ex-prefeito Djalma Maranhão (Natal, 27 de novembro de 1915/ Montevidéu, 30 de julho de 1971), que foi professor, jornalista e prefeito eleito por voto direto. Promoveu uma série de iniciativas que marcaram o dinamismo de sua administração, sobretudo na área de educação. Imortalizou sua gestão com o projeto “Pé no Chão Também se Aprende a Ler”, coordenada pelo professor Moacyr de Góes, então secretário de Educação, com o objetivo de erradicar o analfabetismo na capital. Em 1964, com o golpe militar, Djalma é preso e levado ao Quartel General por ter sido contrário aos ideais militares da época. Na Guarnição, o coronel Mendonça Lima lhe ofereceu liberdade em troca da renúncia ao cargo de prefeito. Djalma não aceitou e foi encaminhado à prisão. Passou pelas celas de Fernando de Noronha e, depois, em Recife. No mesmo ano, pediu exílio político e foi para Montevidéu.

20h – Mesa Literária 4: “Campos e espaços do conto e da crônica”
Com a escritora Marina Colasanti e convidado

21h – Mesa literária 5: “Cidade, Antropologia & poesia”
Com o antropólogo, poeta e historiador Antônio Risério (BA) e a antropóloga Wani Pereira (RN)

08/08- SÁBADO
“Paralelos dos legados de Hélio Galvão e o Turista Aprendiz, de Mário de Andrade”
8h O poeta Lívio Oliveira abrindo os “Paralelos dos legados de Hélio Galvão e do Turista Aprendiz” com o mestre Pedro Benedito
9h Histórias com Vinícius Viramundos (PE)
10:00 Ação Sesc de Incentivo à Leitura: Alexandre Alves (RN) e Vinícius Vira Mundo (PE)
11:30 INTERVALO
13:30 – Contação de Histórias com Vinicius Viramundos (PE)
14:30 Ação Sesc de Incentivo à Leitura: Alexandre Alves (RN) e Vinícius Vira Mundo (PE)
15:30 Mesa dos paralelos: Livio Oliveira e Carlos Fialho: Os Legados de Hélio Galvão e Mário de Andrade e os Novos caminhos na literatura do RN
18h: Encantaria: coreografia de Anísia Marques inspirada na gravação de “Boi Tungão” (de Chico Antônio) – registro gravado há mais de uma década pela Orquestra Sinfônica com arranjos de Danilo Guanais.

TENDA DOS AUTORES
19h30: Mesa literária 6: Literatura e sertão: quando o regional e o universal
Com o romancista Aldo Lopes, o poeta e contista Demétrio Diniz e o jornalista Tácito Costa
20h30: Mesa literária 7:“Caminhos do Filho do Holocausto e o filho de Sertânia”
Com Jorge Mautner e Marcelino Freire
22:00 Show Qu4tro: Grupo Qu4tro reúne os artistas potiguares Khrystal, José Fontes, Sami Tarik Soares e Ronaldo Freire de Lima. Apresenta músicas autorais e versões singulares de Jorge Mautner, Milton Nascimento, Dominguinhos, Genival Lacerda, entre outros.

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + onze =

ao topo