um dia esplêndido

Por Márcia Maia

nana canta chico na vitrola
ao som dos sinos de ventos

um cheiro de feijão e carne
assada escapa da cozinha

há bons livros nas estantes
flores sobre a mesa

e um gato imaginário
dormita preguiçoso no sofá

por que então me aflige
a mudez contumaz do telefone

meio ao cantar sem fim
dos passarinhos

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Anchieta Rolim 8 de novembro de 2011 14:19

    Esplêndido poema Márcia. Valeu!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo