Um mar de livros e lembranças

Por Maria Betânia Monteiro

É impossível não relembrar esta cena ao falar de Zila Mamede: de licença das atividades profissionais, a paraibana radicada em Natal acordou feliz, cantarolando uma música de Roberto Carlos, artista que geralmente ou nunca estava entre um de seus preferidos do toca discos. Tomou café, vestiu o maiô e partiu, para nunca mais voltar.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 15 =

ao topo