Uma campanha sórdida

Hoje o meu irmão, Tales Costa, que trabalha na Secretaria de Saúde, em São José de Mipibu, contou-me que uma pessoa distribuiu na calçada da repartição um panfleto intitulado “O Caso de Dilma”.

O panfleto, em folha A4, trazia com destaque a foto de uma mulher, que seria o “caso” da ex-ministra. Depois de “matadora de criancinhas”, de ter desafiado Deus, assaltante de bancos e terrorista, tentam taxá-la de homossexual.

Não tem limites a campanha de calúnias e infâmias patrocinada pela coligação PSDB/DEM. Supera em muito as investidas de Collor contra Lula na campanha de 1990. Seguem ao pé da letra a máxima maquiavélica de que os fins justificam os meios. Alguns analistas já consideram esta a campanha mais sórdida e inescrupulosa desde a redemocratização do país.

Uma campanha que conta com respaldo dos jornais Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e da revista Veja. Escancaradamente. Recente pesquisa feita por uma ONG, divulgada no blog Vi o Mundo mostra que cerca de 70% das manchetes desses veículos de comunicação são negativas para a candidata Dilma. O Estado de São Paulo pelo menos já assumiu, em editorial, o apoio a Serra. Os outros se fazem de doidos.

Disse hoje lá no Twitter que Serra não conta mais como o meu respeito. Perdeu-o quando assumiu o discurso e a prática do que há de pior, mais medieval e hodiento na política brasileira. Lastimável que ele tenha jogado na lata do lixo o seu passado de militante de esquerda e líder da UNE.

Mas parece que é recorrente, quando o militante deixa a esquerda se torna um feroz direitista, a história está cheia de exemplos. Carlos Lacerda foi um deles. Serra vai no mesmo caminho. Sem o talento de Lacerda, mas com o mesmo grau de irresponsabilidade e maldade políticas.

Independente de quem vencer, o mal já está feito e a laicidade do estado brasileiro terrivelmente comprometida. Pressionada pelas igrejas, Dilma assinou hoje uma carta (aqui) onde dá satisfações de suas posições sobre temas delicados, como o aborto. Um retrocesso lamentável.

Mas, com Serra será ainda muito pior. Porque além dessa submissão religiosa referida acima (reforçada pela Opus Dei, do governador Alckmin), teremos o fim das políticas sociais (Bolsa Família etc), a criminalização das demandas sociais, o retorno das privatizações e sucateamento da educação, entre outras bandeiras caras aos programas do DEM e PSDB.

É o pior cenário possível para o Brasil. Se você pode fazer algo para impedir isso faça. Se não pode ou não quer não venha reclamar depois. Lembre-se que a fatura será cobrada de todos e omissão não isenta ninguém de responsabilidade. (TC)

Comentários

Há 9 comentários para esta postagem
  1. Epitacio Pessoa Castelo Branco 17 de outubro de 2010 12:13

    Esta tática é antiga, inescrupulosae e do nível mais baixo, um atraso na democracia que vem atingindo níveis nunca antes alcançado. Denigre a moral de pessoas que não merecem tal difamação. É próprio do desespero e por não ter coisa melhor para apresentar, seja o que concretamente já realizou, seja o que realmente pretende fazer pela nação e pelo povo brasileiro. O que será de nosso futuro se um inívíduo de tal qualificação vier a ocupar o cargo máximo da política brasileira ?
    Não quero mais privatizações, dívidas imensas com o FMI, escândalos como os do PROER, SIVAM, etc,etc. Quero que o país continue a crescer e que se valorize o que é nosso, que as pessoas mais pobres venham a ter melhores condições de vida e acredito que a DILMA dará continuidade aos avanços já conseguidos pelo governo LULA.

  2. Nabuco Pessoa 16 de outubro de 2010 9:30

    Ainda existe, no You tube, um vídeo onde o presidente Lula fala dos veados de Pelotas : http://www.youtube.com/watch?v=c_2csPaWL4s

    Mas certamente ‘O Cara’ estava fazendo uma piadinha saudável e a ele tudo é permitido, não é mesmo?
    Tergiversar é não querer discutir o caso Erenice Guerra, tergiversar é achar que essa eleção é uma luta entre esquerda e direita, escamoteando o fato de que perfilam dentre os que seriam de esquerda tipos como Collor, Sarney, Edir Macêdo, Jáder Barbalho e tantos outros notáveis, tergiversar é aceitar o jogo bruto do estado petista ao usar a máquina como nunca antes nesse país – nem na ditadura militar se viu igual – para tentar vencer a eleição a qualquer custo.

  3. Alex de Souza 16 de outubro de 2010 7:36

    Interessante como os comentários pró-Serra ‘inocentemente’, como é que se diz mesmo agora?, tergiversam na hora de falar sobre essa campanha linda e patriótica.

  4. Marcos Silva 15 de outubro de 2010 23:13

    Amigos e amigas:

    Oargumento de um suposto caso lésbico de uma mulher como algo vergonhoso significa exatamente o quê? Significa que quem o utiliza é homofóbico. Penso que ser lésbica, hetero ou praticar abstinência sexual são opções ao alcance de todos – moral do ressentimento é que não dá.
    Não tenho o menor interesse em saber quem goza como. Desejo a todos ótimos gozos para não falarem bobagem sobre os gozos dos outros.
    Abraços:

  5. Emiliano Vargas 15 de outubro de 2010 22:12

    O que eles querem é o pré sal. Eles quem ? As potencias do mundo ocidental, os EUA e países da Europa emcabeçados pela Inglaterra. Está chegando a hora do gigante que vivia dormindo em berço esplêndido, dá seu primeiro passo para contruirmos uma nação. Não podemos amarelar nem vacilar, pelo tom desta campanha, dá para perceber quem manda em SERRA e no PSDB, a extrema direita, a mesma que massacou Hiroshima e Nagasaki, a mesma que fez a guerra do Vietnã, a guerra do Iraque, que implantou as ditaduras militares nas americas do sul e central, que mantém os regimes sanguinários do oriente, a mesma que invadiu o Afeganistão, eles querem vender armas, e querem as nossas riquezas do pré sal, só um desinformado não percebe. O poder eles dão de migalhas aos seus bajuladores e aos covardes, como eles tem dado a todos os títeres e ditadores. Fora a extrema direita, queremos DILMA

  6. nina rizzi 15 de outubro de 2010 20:43

    serra, a liderança de esquerda que “covardes, […] ‘colocaram o rabinho entre as pernas’ e foram para o Chile, França, Canadá, Holanda. Viveram o status de exilado político durante longos 16 anos, em plena mordomia, inclusive com polpudos salários. Foi nas belas praias do Chile, que José Serra conheceu a sua esposa, Mônica Allende Serra […]

    quanto aos temas delicados, pasmei com a coerente retórica de jarbas passarinho: ela ter sido favorável ao aborto e agora não não revela fraqueza ideológica, antes coerente com a ‘vontade geral’ que poderá vir a representar…

    ótimo texto, tácito. vou republicá-lo no super verme, tá?!

    beijos.

  7. Carlos dos Santos Silva 15 de outubro de 2010 20:02

    O texto do editor Tácito Costa está mais para um reles panfleto petista, daqueles distribuídos em esquinas ou paradas de ônibus. Uma lástima.
    O que dizer de um pretenso líder de esquerda que abraça as ditaduras mais sanguinárias do planeta? O abraço em Fidel enquanto um dissidente cubano jazia após greve de fome; o abraço em Ahmadinejad no momento em que o regime decretava apedrejamento de condenada. Que comportamento altruísta, não editor? E a grande mentirosa da Dilma que não consegue manter suas posições? Está agora contra o aborto por ter sido pressionada pelos evangèlicos, é isso editor? Coitadinha. Tão sem caráter e tão oportunista. A farsa de Dilma o Brasil não perdoará. Ela realmente não se encontrou com Lina Vieira? E o doutorado em ciências econômicas de araque – foi pro beleléu? Essa mulher é uma desclassificada. Só sua miopia não permite detectar. Olho no lance, editor!

  8. Ana Barros 15 de outubro de 2010 19:04

    Parabéns, Tácito. Estou assustada diante da passividade do povo brasileiro, principalmente dos jovens universitários, esses mesmos que foram em massa ouvir Edgar Morin falar sobre o destino da humanidade. Cadê o grito dos excluídos? Nossa geração, cinquentona e esclarecida no pós ditadura militar, grita na internet mas, cá fora, há todo um aparato montado a favor do silêncio e da desmoralização de uma cultura e cidadania popular ainda nas fraldas do conhecimento. Gostaria muito de podermos sair da internet para a rua. Por que ainda não?
    Beijos

  9. Sebastião Vicente 15 de outubro de 2010 18:33

    Parabéns pela coragem de se posicionar e pela sensatez da análise. Uma postagem dessa, sozinha, vale a iniciativa deste Substantivo. A priopósito: algo muito parecido com o que seu irmão viu aí está acontecendo aqui perto, na Ceilândia (DF). É impossível não desconfiar de uma ação minimamente orquestrada. E tome decepção com quem até outro dia merecia o nosso respeito, divergências à parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo