“Uma Casa na Escuridão”

“Era uma vez o fim de tarde.” A um só tempo muito familiar e estranha, a primeira frase dá o tom do terceiro romance do premiado escritor e poeta José Luís Peixoto, lançado em Portugal em 2002 e agora aqui. Pois “Uma Casa na Escuridão” pertence a um gênero único, misto de fábula apocalíptica, realismo mágico e prosa poética. Algo entre o Ítalo Calvino de “Um Visconde Partido ao Meio” e “Nos Penhascos de Mármore”, do Ernst Jünger. Mas com o inconfundível toque de melancolia da terra de Camões”.

aqui

ao topo