Uma coletânea pioneira

Por Thiago Gonzaga

O erotismo é uma das bases do conhecimento de nós próprios, tão indispensável como a poesia.
ANAÏS NIN

O erotismo está associado à sociedade e à cultura desde o início dos tempos, e na literatura, nas artes de maneira geral, não é uma exceção, embora muitas vezes submetido à censura. São frequentes referências à sensualidade ou passagens eróticas em várias obras ao longo do tempo, às vezes não como o tema principal, mas como capítulos isolados que contribuem para a evolução da história ou o desenvolvimento de um personagem. Num exemplo recente temos “A casa dos budas ditosos” de João Ubaldo Ribeiro: obra, que representa o pecado da luxúria, é narrada por uma velhinha que beira os 70 e que conta, sem pudores, suas memórias libertinas. Poderíamos citar outros trabalhos como, por exemplo, os de Anais Nin, Henry Miller e DH Lawrence.

A literatura erótica é uma vertente que utiliza o erotismo como tema em sua maior parte no conto ou no romance, embora seja encontrada também na poesia. Cultuada mundo afora, essa vertente é pouco expressiva no Rio Grande do Norte, em se tratando de ficção. Mas, agora podemos comemorar um passo importante da nossa cultura literária. Foi publicada recentemente a primeira reunião de contos eróticos de autores potiguares. Organizada pelo editor e escritor José Correia Neto, a coletânea traz ilustrações do artista plástico José Clewton do Nascimento. “Entre Dedos…” prova mais uma vez a sintonia literária potiguar, e seu valor estético, em relação ao que tem sido produzido em outras capitais, com bons autores e que possuem sensibilidade artística para tratar de um tema difícil, o erótico na literatura.

Editada pela Caravela Selo Cultural, a coletânea ficou um trabalho graficamente perfeito, digno de figurar nas prateleiras de qualquer livraria do mundo. A obra foi muito bem produzida e organizada, e merece todos os confetes, pois entra, inclusive, para a nossa história literária como a primeira desse tipo no Estado. “Entre dedos…” tem a participação de escritores experientes, dentre eles, João Andrade, Cefas Carvalho, Jeanne Araújo, Jania Souza, Maria Marcela Freire, Maria Maria Gomes e Sheyla Azevedo.
Algum leitor mais atento irá notar a ausência de escritores potiguares pioneiros no trato da temática tais como Nei Leandro de Castro, Newton Navarro e Francisco Sobreira. Mas, pelo que observamos, o organizador preferiu enfocar apenas nomes da nova geração.

Nos contos selecionados tanto do erotismo masculino como do feminino, relatos e fantasias são ingredientes indispensáveis que instigam a imaginação do leitor a mexer com a audição, o olfato, o tato e a visão, mesmo sem a presença física de um dado estímulo. É que as fantasias ligadas à sensualidade e ao erotismo têm o potencial de aumentar o nível de interesse pela leitura.

Evidente o esmero da editora e dos seus participantes, que realizaram um bonito trabalho. Em suma, “Entre Dedos…” se serve da descrição detalhista da aventura erótica como pretexto para o derramar-se da mais fina literatura.

 

Thiago Gonzaga é mestrando em literatura potiguar contemporânea na UFRN.

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP