Uma Estrela D’Alva brilha há 90 anos na Música e na Cultura

Por Liacir Lucena

A Professora D’Alva Stella Nogueira Freire completou 90 anos de idade. Ela faz jus ao seu nome.  Como uma estrela de primeira grandeza, tem iluminado nos últimos 90 anos, o céu da Cultura e das Artes Nordestinas.  Musicista, Cantora, Educadora, Compositora, Regente de Orquestras e Organizadora de Corais, é difícil imaginar alguém que tenha contribuído tanto para a Educação Artística e para o desenvolvimento da Música em nossa região.

A sua trajetória deixou marcas no Ceará, no Rio Grande do Norte (em Mossoró e Natal), na Paraíba e até no Rio de Janeiro.  Conviveu com Anísio Teixeira e com outros vultos da Educação Brasileira.  O Conservatório de Música da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, em Mossoró, ostenta o seu nome.  No Ceará foi Professora de Música na Universidade Federal e de outras universidades, como também integrou o corpo artístico do Conservatório Alberto Nepomuceno, de orquestras, conjuntos e corais.   Faz parte da Academia Mossoroense de Letras.

Como um presente de ano novo, trago uma pequena amostra de sua vida. Por favor procurem ter acesso aos conteúdos dos sítios abaixo (textos, fotografias, depoimento, música e vídeo).  Basta clicar.

http://jornalggn.com.br/blog/lucianohortencio/as-noventa-primaveras-de-dalva-stella-a-estrela-da-manha-estrela-dalva

http://www.youtube.com/watch?v=bWpSdWv85BI

http://www.youtube.com/watch?v=LUlFQ_XdDZk

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Liacir Lucena 24 de janeiro de 2014 19:31

    Faltou dizer que D’Alva Stella foi uma das fundadoras do Instituto Cultural do Oeste Potiguar, ICOP. A Revista OESTE, do ICOP, em seu número 15, contém uma interessante entrevista sua em que aborda principalmente fatos ocorridos durante sua passagem por Mossoró. Em 1957 ela foi minha professora no Colégio Santa Luzia.

  2. David Leite 24 de janeiro de 2014 18:55

    A Professora D’Alva Stella Nogueira Freire, devemos destacar, participou da grupo responsável pela fundação do ICOP – Instituto Cultura do Oeste Potiguar, no longínquo 1957, ao lado de outros valorosos confrades, como o Professor Moacir Lucena (pai de Liacir), João Batista Cascudo Rodrigues, Vingt-un, monsenhor Francisco Sales…
    Portanto, merecida homenagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo