Uma notícia boa e uma notícia ruim vindas lá do Beco da Lama. Qual você quer primeiro?

O Beco alvissareiro parece mais calado nos últimos meses, mas o silêncio é fruto da crise. Aquelas vielas continuam sendo a boca maldita da cidade. Só perdeu o eco. É que o projeto da difusora, primeiro da nova diretoria da Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências (Samba), quebrou. E o que tem a ver a crise financeira? Nada! Neste caso são só problemas técnicos. O volume alto a partir do Sebo Balalaika de Ramos para o mundo, não aguenta a pressão. Dezoito drivers já foram consertados, mas a diretoria estuda um novo sistema e um local protegido do sol para reinstalar o equipamento.

E qual a notícia ruim? O jornal O Beco, que vinha se aprimorando e constituía outra voz importante do Beco da Lama, está com as próximas edições suspensas. Motivo: a crise! Agora sim. É que o periódico é sustentado praticamente com dinheiro de sindicatos assessorados pelo diretor geral da Samba, Tarcio Fontenele, que preferiu segurar essa verba para outros projetos mais tradicionais do Beco. E aí vem a notícia boa: o carnaval fora de época (Carnabeco) e o Festival Gastronômico do Beco (Pratodomundo) vão acontecer, com a ajuda dessa verba do sindicato que serviria para o jornal.

O Carnabeco está agendado para 5 de dezembro e não tem Carnatal que segure a folia pelas ruelas do Beco. Uma banda de frevos e marchinhas já foi contratada com recursos próprios por puro risco. Agora se vai tentar angariar recursos para recompor o investimento. Pretende-se ainda outra atração para o encerramento, mas tudo depende da arrecadação junto aos órgãos públicos ou privados. Assim também será para o Pratodomundo, que acontecerá dias 12 e 19 de dezembro. Com pouco recurso, mas o comandante Tarcio garante a realização do evento e tentará verba para cachês de atrações musicais.

Já se iniciou conversas com os donos dos bares do Beco para reconquistar a confiança na participação do Festival. É que na gestão passada, a diretoria Micarla da Samba não repassou absolutamente nada aos vencedores do Festival. A intenção este ano é também prestar homenagem a Cascudo e pratos inspirados em sua obra, provavelmente amparado em A História da Alimentação no Brasil (eu preferiria que fosse O Prelúdio da Cachaça rs). A ideia é também buscar apoio da Funcarte e da FJA. O Crispa Neto já se disponibilizou a ajudar, só não especificou qual ajuda. Importante é a continuidade dos festejos.

FOTO: Magnus Nascimento

MUDANDO DE CONVERSA………………… Dica imperdível para sábado? Gira Dança e o espetáculo Sem Conservantes, às 16h30, no Parque das Dunas………………… Os Amigos da Pinacoteca organizarão uma exposição com nada menos que 40 artistas mossoroenses na Pinacoteca do Estado. Para a última semana de novembro. É a Pinacoteca voltando ao normal………………… Aprovado na Câmara Municipal de Natal Projeto de Lei que regulamenta os festejos juninos. Assim, de segunda a sexta-feira os eventos se encerrarão à meia-noite. Aos finais de semana, até as 2 horas da matina………………… Curiosidade: você sabe qual a maior bilheteria da história do teatro potiguar? O espetáculo Cinderela, A Estória Que Sua Mãe Não Contou, produzida nos anos 90………………… Após circular por 17 estados pelo Palco Giratório, o Grupo Estação de Teatro chega a Arcoverde/PE neste fim de semana com o espetáculo “Guerra, Formigas e Palhaços”.

DESTAQUE:
12144908_449629998557311_7845562147208326472_nO Ballet Municipal do Natal preparou programação especial para celebrar o Natal em Natal 2015 nesta quinta. Sob comando do coreógrafo e professor Dimas Carlos e composição do maestro Gilberto Cabral, acontece no Teatro Riachuelo a apresentação do “Pavão Misterioso”, com sessões às 17h e às 20h, sendo a primeira para convidados e pais de alunos do Ballet, e a segunda aberto ao público geral e preços populares. A apresentação terá como convidados especiais Márcia Jacqueline, primeira bailarina do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Moacir Emanoel, também do BTMRJ. “O Pavão Misterioso”, livro de Ronaldo Correia de Brito, é uma adaptação de um dos mais famosos cordéis nordestinos e uma verdadeira proeza no âmbito da literatura infanto-juvenil.

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − 6 =

ao topo