Uma rosa para elas

Os homens continuam bélicos e fingidos. Carregam sempre seus bacamartes, espadas e peixeiras para esconder seus fantasmas e solidões. Estão sempre lutando e, elas, continuam colocando flores por sobre os nossos corpos mortos e missas de galos com esporões cegos e murchos de tanto esporear e ciscar aos ventos.

Como não dizendo nada ELAS vão florindo nosso substantivo, elas – as poetas: Carmen, Denise, Anchella, Yerma, Tania, Edjane e tantas outras rosas desse jardim de nós todos. A todas elas: as leitoras, as que nos frequentam , as que estão por vir, as que nos visitam,as que nos aquecem, as que só sabem ouvir.

Meu muito Obrigado

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

ao topo