Uma viagem de táxi em Natal através do Uber

Viajei de Uber.

Assim, feito beradeiro, logo no dia da estreia, que esse povo de Acari não tem paciência de esperar.

Ah, esse artigo não é um guia completo.

Ora… se o próprio serviço está em testes, não me cobrem todos os detalhes do mundo.

Já tinha ficado sabendo de protesto dos taxistas e tudo mais, o que talvez tenha contribuído na pressa de experimentar a novidade.

Como disse no Facebook, foi a revolta dos datilógrafos contra o computador.

Baixei o APP facilmente, na Google Play (20mb), e fiz o cadastro do cartão de crédito – é, só funciona com cartão.

Beleza…

A interface do aplicativo é muito parecida com a do 99 Taxis, ou seja, até agora nada de grandes novidades que garantam vantagem ao Uber na faladíssima guerra entre os dois serviços rivais.

Pedi.

O motorista demorou uns 10 minutos para chegar onde eu estava, também similar ao tempo que costumo esperar quando uso táxi.

Segue o empate.

Chegou.

De cara, um rapaz sorridente deu boa noite e perguntou o destino.

Ofereceu balinha. Ok. Conversamos sobre a novidade, como era o esquema e tal. Era sua segunda corrida.

Ele se desculpou pela falta de habilidade na operação do aplicativo, o que é perfeitamente natural, em se tratando de algo que acaba de ser lançado.

Por sinal, quanto ao recrutamento dos “operadores”, o motorista informou que não tem qualquer burocracia. Não faz duas semanas que se cadastrou, segundo me disse.

“Mandaram uns emails e fizeram um treinamento curto no (hotel) Majestic essa semana. Não teve mais nada”, afirmou.

A impressão que dá é que eles seguem uma espécie de “cartilha Uber”, com toda essa história de balinha, conversa de amenidades e um certo excesso nos maneirismos. Soou forçado.

Fala-se muito, também, no conforto dos carros, em comparação com os táxis.

Não senti diferença.

Andei num Fiat Siena, ar condicionado ok, mas nada de luxo.

Aliás, pelo menos com base na primeira experiência, nesse quesito os representantes da velha guarda saem na frente.

Isso porque a frota de táxis de Natal é, de fato, bem nova, em sua maioria. Uso bastante e sempre rola uns carrões.

Outro ponto que me chamou a atenção durante a conversa: o Uber está realmente focado em tomar o mercado. Estão oferecendo bônus de até R$250 aos motoristas que atingem um determinado número de corridas.

Pedi mais informações, o motorista não deu.

Como parte da campanha de chegada na capital potiguar, o serviço está oferecendo um desconto por meio de cupom eletrônico. Pelo que entendi, são trinta mangos de lambuja na primeira corrida. Evidente que utilizei o voucher.

E acabou que a viagem saiu de graça!

Eis a grande vantagem, o Golden Goal do Uber em cima dos taxistas: saí do Tirol até Nova Parnamirim, um trajeto já feito inúmeras vezes com o serviço antigo. Jamais paguei menos de R$40. O Uber, caso eu tivesse pago, teria saído por menos de R$30.

Longe de mim, projetar futuro aqui. Tenho certeza de que esse furdunço vai longe. Prevejo seguidos embargos e liberações. Protestos, guerrinha, confusão.

Mas uma coisa é certa… será difícil concorrer com o Uber, com preços tão competitivos/convidativos.

Que bom pra nós.

Bancário, jornalista e músico. Vivo nas horas vagas junto a Larissa, Liz e Lia. Amor sempre. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP