Velhos tempos

Marcos, meu velho,

Sou do tempo da máquina de escrever na redação, do telex, de um tempo em que paginávamos o jornal manualmente, pregando as tiras de matérias com uma cola permanentemente quente e fazíamos as correções cortando as partes erradas com um estilete e substituindo-as. Botei a mão na massa mesmo porque além de repórter e editor trabalhei como secretário gráfico, na cozinha do jornal. Mas a idéia da máquina não foi minha. Como o pessoal da Mariz, que fez o projeto, conhece a minha história, suponho que achou interessante fazer essa ligação histórica/sentimental, inserindo a máquina no projeto visual. Para mim, está bom. Como também estaria massa se fosse um computador bem invocado. Francamente, não ligo muito para essas coisas não. Para mim, o importante é que a coisa funcione. Mas estou levando em conta todas as sugestões porque sei que são construtivas e apontam para melhorar ainda mais o blog. É possível que retire daí uma média e mexa na programação visual mais na frente. O momento agora é de maturação e não de precipitação. O mais importante é que estamos nos comunicando e eu aos poucos estou dominando todas as ferramentas do novo. Esse software (WordPress) é elogiado por todos os que entendem de informática. Com um pouco de paciência e interesse vamos dominá-lo completamente e aí a vida ficará melhor para todos.

Abraços.

ao topo