Vem!

Yerma Magalhães
Publicado no Papo Furado

Ergue-te em plumas de pavão
Transbordando a exuberância dos teus suores.
Faz-se outra vez correnteza das cachoeiras.

Anda!
Vem ser Loba em minha matilha
Derrama sobre mim larvas do teu vulcão.

Percorre o caminho das minhas matas
Desvenda a trilha dos meus desejos.
Despeja teu sal em meus mares.

Crava em mim a semente da tua vinda.
Seja eu solo fértil,
Germina-me.

Teu Sal
Empresta-me teu calor para que eu derreta as geleiras
Vem fazer de mim Lua nascente.
Deitada, despida sobre as águas dos teus suores.
Faz-me jorrar no calor dos nossos desejos.
Deixa escorrer em minha boca o sal do teu corpo.
Deixa-me sentir teu sabor.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 6 =

ao topo