Vencedor de prêmio aos 95, padre Daniel devolve poesia ao mundo

Ao telefone, da cama de um hospital recifense, Daniel Lima diz o que entende por poesia.  “É uma espécie de vômito da beleza. A gente tem necessidade de soltar a beleza que percebeu do universo. Temos o impulso irresistível de restituir a beleza vista por nós ao mundo a que ela pertence.”

aqui

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Jarbas Martins 15 de dezembro de 2011 11:23

    se iluda com poema de padre não, Carlão. fora o Gerard Manlley Hopkins (traduzido por Augusto de Campos) não tem nada pra lê. é tudo coroinha.

  2. carlos de souza 15 de dezembro de 2011 9:04

    ansioso para ler os poemas deste padre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo