Versos que trago no meu bolso alheio

Por Jarbas Martins

Caro Lívio Oliveira,

quem errou, agora, fui eu. Peguei o verso do seu blog, e postei sem me dar conta que o verso era um poema de seu ótimo “Telha Crua”. Pena que o poema não vai sair aqui com a formatação como está no livro. Gosto dos seus poemas. E respeito-os sobretudo.

Abraços.

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Lívio Oliveira 30 de abril de 2010 14:01

    Fico grato, caro amigo Jarbas. E devemos retomar os encontros na nossa algaroba artificial fresquinha lá da Cooperativa do Campus. Estou lhe devendo um cafezinho.
    Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo