Vetor Cultural sai de cena

Por Pedro Rodrigues

Caros amigos e colaboradores do www.vetorcultural.com , vocês sabem que foto é essa? É uma foto tirada por Alba, minha esposa, em Vila Velha Itamaracá. Nesse local, que chama-se “Encontro entre Amigos” um simpático restaurante, cuja proprietária do mesmo, se não me engano, Dona Maria, prepara uma cabidela de respeito. Com a ajuda dos filhos, ela vai tocando o lugar. Bem, não sei se ainda eles estão por lá, porque simplesmente eu não tive mais tempo de visitá-los. Espero que ainda estejam.

Neste dia, após este peixe, que colaborou com tudo para que eu o devorasse eu perguntei a Alba(estava muito satisfeito, feliz): você já pensou se todas as pessoas pudessem saber que este local aqui existe? Ser tão bem tratado e ainda por cima comer esta comida deliciosa? Então resolvi fazer isso meso. Para mim, aquele lugar faltava pouca coisa para se transforma em um local de Cultura.

Eu tinha um site na época chamado “Apansh” que é um Deus tribal que eu tinha sonhado com ele e nestes sonhos, ele conversava comigo. Não tinha nada a ver com Cultura,etc. Mas eu aproveitava o endereço para colocar meus quadros e desenhos.

Daí, comecei a pensar que poderia começar a divulgar estas coisas na web, pois, com certeza muita gente gostaria de saber, e assim eu aproveitaria para mostrar um pouco de nossa Cultura para as pessoas. Na mesma mesa eu cheguei ao nome, que é hoje, chamado VETORCULTURAL.

Neste mesmo dia ao chegar em casa, coloquei as fotos online neste endereço anterior, chamado Apansh, bem em cima na capa, enquanto eu esperava o prazo de registro do VETORCULTURAL e providenciava a hospedagem.

Estavam lá, Dna Maria, os filhos, as fotos de umas galinhas no terreiro, o prato de cabidela e a foto do prato do peixe(eu tinha fotografado antes – em alguns locais eu costumo fotografar os pratos que mais gosto)

Quando saiu a licença do VETORCULTURAL, eu coloque a matéria na capa, como a primeira matéria sobre Cultura em nosso Estado e as fotos de alguns quadros meus.

Depois conheci o Nelson na estrada de Ipojuca. Do lado direito sentido Serrambi estava um tapume com algumas peças de cerâmica e na volta, resolvi parar, constatando que eram máscaras de cerâmica muito bonitas, que ele fazia. Ficamos amigos com o tempo e hoje, cinco anos após, continuamos esta bela amizade. Sou padrinho de seu filho e tenho cerca de 40 máscaras feitas por ele.

E ai veio uma amiga e me pediu para colocar a peça em que ele atuava no site e eu coloquei.

Pensei, se eu divulgo minhas pinturas, os trabalhos de Nelson, as delícias de Dna Maria, porque não divulgar mais e mais matérias relevantes `Cultura e a Arte, como um todo.

Ai começou,o que vocês podem ver hoje em que se transformou o VETORCULTURAL.

Mas o projeto do VETORCULTURAL é dividido em 5(cinco)etapas, das quais, todos conhecem somente a primeira, que é o Portal de Cultura e Arte.

O restante até hoje não consegui implantar, pois, se as dificuldades, já me fazem recuar, imaginem para que eu concretize todas as etapas.

Em se tratando de Recife e a maneira como as coisas de Cultura são tratadas aqui, é praticamente impossível. É uma pena que vemos, com grande desrespeito, como se trata o dinheiro alheio e a causa alheia, quando se trata de Cultura, Arte, projetos, etc. As propostas recebidas são as mais escabrosas possíveis, o desinteresse pela própria Arte e pela Cultura, muitas vezes dá vazão a situações onde o orgulho e a prepotência que toma conta de certas pessoas envolvidas com isso, possa fazer de conta que essa própria Arte e essa própria Cultura não existam. O motivo maior é o ganho, o aparecer, o prazer pessoal que engorda bolsos e enche as papadas dos comedores de lagosta de mais orgulho e muitas vezes uma certa tirania, em renegar o que é realmente nobre e se entregar a torpeza dos vícios danosos, sitiando os verdadeiros interessados na verdadeira Arte e Cultura, dentro de ciclos de amizades, formados pelos “mesmos” onde estão os privilégios e um bocado de prestígio tornado todo o acesso mais difícil. Parece uma turba de senhores feudais, onde se encerram as vontades e a pequena ajuda que se pede não chega nem a arranhar o ouvido destes, quiçá seus sentimentos.

Poderia traçar mais baboseiras e palavreados à respeito deste mesmo assunto, mas desisto de parecer o “palhaço de sempre” e “otário”, como muitas vezes sou chamado por divulgar todos os evento gratuitamente no site. Este bobos vertiginosos em sua beberagem egoísta me chamam desta forma.

Então, realmente, resolvi enviar esta comunicação àqueles que creio, trabalhem sério pela Arte e pela Cultura e peço desculpas pelos meus desvarios gramaticais e palavreados tortuosos para comunicar que o www.vetorcultural.com chegou ao fim e agora terei tempo para me dedicar a minha Arte pessoal, meus quadros, fotografia, livros, etc, onde creio que encontrarei muito mais a paz que preciso e os amigos como vocês a quem direciono estas palavras.

Peço que me procurem no FACEBOOK pelo nome “Pedro Paulo Alves Rodrigues” – e-mail: atmosferazero@atmosfera-zero.com .

Beijos a todos e se esqueci alguém aqui, depois, quando me lembrar, enviarei o mesmo e-mail. Mas lembrem-se que este e-mail não será direcionado a mais de 40 boas pessoas que sempre se dispuseram a me ajudar e a quem eu ofereci espaço no VETORCULTURAL por acreditar em seus trabalhos.

Beijos eterno do Amigo de sempre,

Pedro

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 9 =

ao topo