“Villa-Lobos também se aproveitou do Estado Novo”

FOLHA -Qual, então, era a relação do compositor com o governo de Getúlio Vargas?

TINHORÃO – Hoje, tenho a clara convicção de que o sistema [o Estado Novo] usou Villa-Lobos. Por que foram chamá-lo, e não a outro, para fazer esse papel? Porque viera da Europa e era o maior compositor erudito do Brasil, à época. Nesse sentido, usou Villa-Lobos pelo seu nome e pelo fato de ser preocupado com essa história de canto coral etc. Villa-Lobos, por sua vez, como passou a ter poder de decisão [na política cultural do Estado], determinou o repertório que as professoras [de música] deviam ensinar nas escolas para as apresentações no estádio. E, com isso, fez uma coisa que, no fundo, queria: difundir o cultivo da música por meio do canto coral.

aqui

Go to TOP