Viver é muito perigoso

Caro Tácito, participo de um blog em Mato Grosso www.prosaepolitica.com em que sua proprietária, Adriana Curvo, jornalista das mais competentes e de fibra, e que por pensar de forma diferente do atual governo de Mato Grosso, está sendo processada pelo atual diretor do DNIT Luiz Pagot, indicado pelo governador Blairo Maggi (foto), ambos do mesmo Partido o PR. O blog dela já sofreu censura e agora o dito, Luiz Pagot, entrou com uma queixa-criem pedindo a prisão de Adriana por não aceitar a “forma” como ela escreve. Mesmo de longe (embora já tenha prestado minha solidariedade e repúdio no blog dela, ao tipo de atitude absurda, autoritária, ditatorial e anti constitucional) presto mais uma vez minha solidariedade a blogueira aqui de longe. Sinceramente a cada dia e diante da atitude tomada por Luiz Pagot fico me perguntando que país é este. Pode ser que eu esteja enganado, mas não penso que seja um país com fundas raízes democráticas. Nem rasas, como diria certo escritor.

Cito uma das postagens dela, Adriana, onde ela fala sobre o processo e agora a queixa crime:
“A juíza Flávia Catarina Amorim aceitou a queixa-crime feita por Luis Pagot, diretor do Dnit (aquele citado ontem pela Folha na Operação Castelo de Areia), contra mim. Pagot pede minha prisão, alegando difamação e injúria. Mais ou menos 3 anos e meio.
Em julho do ano passado houve a audiência de conciliação. Foram quase três horas onde Pagot tentou, em vão, me convencer de não ser processada por ele. Lá o promotor de Justiça, esqueci o nome dele, só sei que é DJ também, queria discutir comigo a “forma” de da minha escrita. Veja bem: o ministério público estadual queria interferir na forma da escrita. Não aceitei, como também não aceitei a proposta feita pela justiça, de que tudo que eu escrevesse sobre Pagot, antes de publicar enviasse a ele para ser aprovado ou não. Agora a juíza recebeu a queixa. Eu terei 10 dias, a partir da notificação, para apresentar minha defesa. Estou aguardando o oficial de justiça.
Esta será uma loooonga novela, talvez comece a andar mesmo já no tempo em Pagot diretor geral do Dnit, será apenas uma triste lembrança”.

ao topo